Como coordenar estampas de forma simples.

Existem truques diferentes para coordenação de estampas, ensino algumas formas diferentes de fazer isso durante minha consultoria de estilo para minhas clientes, também falo sobre este tema no mini-workshop de estilo pessoal e, agora, ele será abordado no meu workshop completo, de modo mais abrangente.

Das muitas maneiras de fazer este tipo de coordenação há duas que considero mais simples e fáceis de serem aprendidas rapidamente: a coordenação entre estampas com cores em comum e  a entre padrões iguais.

Somente com estes dois conceitos podemos ter muitas ideais do que fazer com as peças estampadas que já estão nos nossos guarda-roupas e, desta forma, otimizar o uso de roupas que podem estar paradas ou com pouco uso, uma vez que as peças com padronagens, na vida de muita gente, fica restrita a coordenações com preto, branco e outras cores neutras.

Coordenação entre estampas com cores em comum – pode ser uma ou mais cores em comum, desta forma a mistura terá harmonia e, por mais cores que haja em uma outra peça, ficará sempre bonito:

Coordenação entre estampas com o mesmo padrão – aqui valem todas as cores e tamanhos de estampa, a harmonia virá pela repetição do padrão:

E se precisar ir além, estou por aqui.
Conta comigo!

Como ter um visual criativo e ainda assim parecer profissional?

Profissional e criativo são duas palavras que caminham juntas sim! Mais de uma vez pessoas já me perguntaram se é possível reunir estas duas ideias em um único visual, e a reposta é: claro! Estas palavras não são antônimos e nem suas mensagens são opostas (e ainda que fossem isso seria possível).

Acontece que a produtividade, hoje, é muito importante e, em tempos assim, ninguém quer parecer incapaz, por isso parecer profissional no trabalho é uma demanda quase geral de quem está ativo no mercado.

Porém, ser flexível, versátil e inventivo para encontrar soluções para tudo o que aparece no dia a dia também é uma necessidade mais ou menos unanime.  Daí que parecer criativo, interessante, vanguardista – até, se tornou importante para muitas pessoas.

O que transmite profissionalismo: terceiras peças, cortes e linhas retas, estrutura nas peças, cores sóbrias:

O que transmite criatividade: estampa, texturas, cores mais pigmentadas, coordenações de cores inusitadas:

A partir destes códigos visuais cada um pode selecionar, dentro de seus limites pessoais e profissionais, o quanto de cada uma destas ideias vai transmitir em seus looks.

A dosagem é individual! E é misturando um pouco de cada que você terá um imagem que te representa, que seja mesmo a sua cara, como eu faço na minha consultoria de estilo (olha o truque pra você!).

E se precisar ir além, estou por aqui.
Conta comigo!

Sexy sem ser vulgar!

Quem nunca falou, pelo menos já ouviu alguém falar: “sou/quero ser sexy mas, sem ser vulgar“, não é? A palavra vulgar tem dois significados: algo que é popular ou que é banal, que não se destaca. Das duas formas, essa frase não faria tanto sentido, ou pelo menos não o sentido que as pessoas querem passar com ela.

A verdade é que, primeiro, a palavra sexy dá um medinho em um monte de gente, admitir querer ou realmente ser sexy, sem medo disso, é como anunciar para o mundo que você não vale nada – bem misógino, bem machista, bem na contramão do pensamento feminista (ou do que eu entendo por feminismo).

Em segundo lugar, o que as sexys querem é ser chics, além de sexys. Elas querem sim se destacar, elas não querem ser igual a todo mundo, querem arrasar e parecerem incríveis. Mas como fazer isso sem perder a identidade ou exagerar?

O melhor jeito é não ser óbvia e fugir do curto, justo, decotado e brilhante tudo junto ao mesmo tempo. Porque, realmente, não precisa de tanto para passar a mensagem, dois ou três itens que mostrem sua sensualidade podem suficientes. Equilíbrio é a chave.

Veja algumas inspirações que podem te ajudar a encontrar o seu jeito de fazer. Mas não esqueça: a sua personalidade conta muito, use somente aquilo em que se sentir confortável e representada para não parecer um peixe fora d’água.

Comprimento – curto ou com fendas:

Caimento – mais justos ou em tecidos esvoaçantes, que mostrem o corpo com o movimento:

Decotes – na frente, nas costas ou recortes em pontos estratégicos:

Texturas – que deem vontade de tocar, transparências:

Estampas – animal print é o clássico:

Sapatos e acessórios – nude, over the knee, colares no decote, metal:

E se precisar ir além, estou por aqui.
Conta comigo!

Como fazer looks com tênis.

Tênis para mim é sem limite, vai com tudo! Claro que usar ou não em determinados contextos está ligado a quem você é, como se expressa visualmente. Uma pessoa muito clássica nunca iria a um casamento de tênis, mas alguém muito apegado ao conforto ou bem descolado adotaria a ideia.

Em uma pesquisa recente sobre consumo três modelos de tênis apareceram entre os produtos mais vendidos nos últimos meses. O que isso significa? Na prática, nada. Você pode continuar a viver normalmente (rs…). Mas, na teoria – minha teoria,  eu acho que isso pode ter a ver com o fato de tênis serem super confortáveis, e a maioria das pessoas não quer passar o dia todo com os pés apertados em um calçado, por mais lindos que eles sejam.

Além disso, tênis são modernos, versáteis, descolados, urbanos, práticos… enfim, uma delícia de usar, né? Então, que tal experimentar? A sua rotina pede caminhadas, você curte estar confortável ou gosta de parecer moderno? Este calçado pode vir bem a calhar! Se o que te falta é inspiração, veja algumas ideias de como coordenar tênis em looks para diferentes ocasiões.

No trabalho – unido a peças formais:

No fim de semana – sem limite, tudo pode ser experimentado:

Na festa/casamento/balada – brilho, tecidos planos e elementos com alguma formalidade acompanham o tênis nestes momentos:

E se precisar ir além, estou por aqui.
Conta comigo!

Como usar botas o ano todo.

Bota por cima da calça skinny/jeans/legging todo mundo já sabe usar, mas como fazer mais com este calçado e, quem sabe, aproveitá-lo em outras estações que não o inverno? As de cano alto tem função também de aquecer e proteger, assim, acabam mesmo sendo mais adequadas ao frio, mas as de cano médio e curto são mais versáteis e podem transitar entre temperaturas.

Então, para não ficar todo mundo igual, vamos pensar em outros jeitos de usar botas? As inspirações vão aparecer aqui divididas por comprimento dos canos, com ideias que não sejam sobre a calça.

Canos altos (over the knee, montaria, country) – as botas de canos longos vão muito bem com comprimentos de roupa curtos – com ou sem meia calça, por serem mais pesadas combinam bem com as estações mais frias, mas podem ser usadas tranquilamente na meia estação.

Canos médios (skinny boots, coturno, biker) – aquelas que ultrapassam os tornozelos, mas ficam longe dos joelhos. Caem bem para dias menos frios e podem ser usadas com roupas de comprimentos variados – curtos, midis ou longos.

Cano curto (ankle boot, botinha) – são as que ficam na altura do ossinho do tornozelo ou abaixo dele. É possível usá-las em qualquer temperatura – mas são as mais indicadas no calor. As roupas podem ter peso (do casacão a regata) e comprimentos variados.

E se precisar ir além, estou por aqui.
Conta comigo!

Saia de saia!

Esta semana postei no Instagram uma foto minha usando saia (e não sei porque, mas sempre que essa foto aparece ela recebe uma chuva de curtidas), que é uma das minhas peças de roupa favoritas. A saia desta foto é especialmente feminina, a cor, o tecido, comprimento e o caimento: tudo colabora para dar o ar de “moça boa” (hahaha). Mas, nem toda mulher quer se sentir assim, delicada e, por isso, muitas vezes afasta a peça do guarda-roupa simplesmente por ela ser um ícone do universo feminino.

Porém, existe uma grande quantidade de diferentes modelos que podem passar mensagens diferentes: poder, sensualidade, modernidade, despojamento e mais um monte de outras sensações.

O modelo, a cor, se tem ou não estampa, o tecido e o comprimento vão dar o tom da peça, que ainda será combinada com parte de cima, terceira peça e acessórios, por isso, eu garanto, o ar de mocinha pode passar bem longe. Se este for o seu problema, eu sugiro que você tente de novo, busque modelos que passem a ideia que você deseja e una a saia a peças que ressaltem o conceito escolhido.

As saias são peças versáteis que podem ser usadas no frio (com meia calça) e no calor e, ainda, têm tantos modelos diferentes disponíveis que tenho certeza que existe um que valoriza o seu corpo (e elas tem um poder muito grande de alongar e encurtar, aumentar e diminuir quadris, acinturar…).

Agora, se a sua desculpa é dizer que: “mulher que não sabe se comportar não pode usar saia”. Eu te digo que isso é um grande mito! A começar pelo fato de que você pode escolher uma mais comprida, que não deixe tanto à mostra e, depois, se até os garotos estão aderindo (e ninguém disse que para isso eles terão que ser comportados), por que não tentar também?

Que tal se inspirar antes de começar a buscar o seu modelo? Vou deixar aqui algumas ideias para você ter de onde partir. Depois, experimente as peças que estão paradas no armário e selecione a que mais se adapta à sensação que está buscando, use um dia nas ruas e depois me conta como foi, tá?

E se precisar ir além, estou por aqui.
Conta comigo!

Roupas confortáveis para ficar em casa.

Quase todo mundo tem uma partezinha do armário dedicada às roupas para ficar em casa e, normalmente, elas são os “restos” do guarda-roupa: o que ficou velhinho e não queremos nos desfazer, o que não tem mais a ver com a gente mas queremos manter.

Não acredito em uma regra para isso, há quem realmente precise de uma gaveta separada porque tem, por exemplo, um trabalho muito formal e não vai fica em casa de terninho, outras pessoas podem trabalhar em home office e não ter essa necessidade, já que as roupas são mesmo mais informais e tudo acaba se misturando. Existe também quem ama conforto ao máximo e não deixa este tipo de roupa só para o ambiente caseiro ou ainda quem prefira um visual mais elegante, mesmo no refúgio de seus lares.

O que eu penso é que estar confortável, mas arrumado é algo que muita, muita gente mesmo procura hoje em dia, seja para os momentos de descanso em casa, seja para andar por aí com muita liberdade de movimento. Eu entendo que isso tem muito a ver com o fato de termos uma vida corrida e cheia de atividades, onde roupas que incomodam não tem muito espaço. Por isso, não acho que este tema: “roupas confortáveis para ficar em casa” seja o melhor, imagino que podemos dizer “roupas confortáveis para o dia a dia“, que tal?

Seja você adepta a gavetinha de roupas ou ao armário inteiro confortável, penso que é possível escolher estas peças com mais carinho – e não deixar que elas sejam somente o resto, o que você não gosta mais ou está mega surrado, e, ainda, fazer com que tenham cara de arrumada. Veja algumas inspirações separadas entre opções para usar em casa,  no trabalho e para passear; ideias para roupas confortáveis do dia a dia.

Roupa confortável para ficar em casa:

Roupa confortável para o trabalho:

Roupa confortável para passear.

E se precisar ir além, estou por aqui.
Conta comigo!

Look do happy hour para o trabaho.

Quem não gosta de ter praticidade no dia a dia? Com o pouco tempo que temos para tudo o que devemos fazer a ordem é facilitar. Então, se vai rolar um happy hour depois do trabalho o ideal é nem precisar ir para casa se trocar, não é? Este compromisso pode ser entre amigos, mas pode ser também uma esticadinha profissional, das duas formas, o visual pode acompanhar o clima mais descontraído do momento.

Essa missão parece mais difícil para quem tem dresscode super rígido no trabalho, mas não é, garanto! Esteja você em um ambiente formal ou informal a gente consegue mudar o look (falando em look, você já deu uma olhada na sessão de looks que a gente pode fazer só com as roupas que você já tem?) de forma que ele fique mais adequado para o segundo (ou terceiro) round do seu dia.

Veja diferentes ideias para transformar a sua aparência e poder ir direto do escritório para o happy hour sem ter muito trabalho.

Mudar acessórios – escolha acessórios maiores, mais coloridos ou com mais brilho do que você usa normalmente:

Trocar o sapato – escolha um calçados que tirem o ar formal do seu visual ou deixe mais sexy:

Mudar a terceira peça – ao invés do blazer use uma jaqueta bomber, jeans ou de couro:

Transformar ou tirar a camisa – arregace as mangas da camisa, dê um nozinho ou ainda tire e coloque um top do lugar (clicando aqui você vai encontrar um vídeo maravilhoso de jeitos diferentes de usar camisa):

Fazer um penteado e caprichar na make – pode ser um rabo de cavalo ou coque bagunçado com um batom colorido ou um olho esfumado:

Você pode escolher uma ou mais destas formas para transformar seu visual do escritório para o happy hour. Aproveite!

E se precisar ir além, estou por aqui.

Conta comigo!

O que vestir em um jantar entre amigos?

Você está cheia de roupas no armário, mas basta ter um compromisso para que ele pareça vazio: é assim que muitas vezes nos sentimos diante desta situação. Os motivos para esta sensação são variados: não querer repetir a mesma roupa da última ocasião ou usar a mesma roupa do trabalho (pior ainda se o compromisso for com a galera do escritório), parecer arrumada demais ou de menos – destoando do ambiente e dos demais, ou ainda, simplesmente, não conseguir se sentir bonita com nada.

É super importante você aprender a entender do que realmente gosta, conhecer o seu corpo e suas roupas, assim, nestes momentos, você saberá perceber como quer se sentir na ocasião e será capaz de definir o que no seu acervo vai cumprir esta missão ( a gente aprende tudo isso na consultoria de estilo, já deu uma olhada?).

Não há um dresscode especifico para uma ocasião como esta, a situação é informal e o que é mais importante é se sentir representada de verdade. Mas, não podemos negar, uma boa inspiração, para os momentos de branco, pode ser salvadora, não é? Veja algumas ideias que podem te guiar.

brilho é uma ideia ótima, traz um pouco de glamour e você pode dosar, dependendo da ocasião e do seu estilo, colocando mais ou menos.

O saltos são bons companheiros nestes momentos, deixam todo o visual mais arrumado. Mas lembre que existem vários modelos, você deve escolher o que for mais confortável para você e fizer mais o seu gênero.

Incrementar o básico com acessórios bacanas também é uma estratégia legal. Pode ser um ou mais, dependendo do quanto você quer chamar de atenção.

E se precisar ir além, estou por aqui.
Conta comigo!

Armadilhas de estilo

Armadilhas de estilo 2

Embora Julia Plecer (a moça da foto) seja mesmo a detentora do record mundial de corrida em saltos altos, isso é algo que fica mesmo restrito a este tipo de competição. No quotidiano, isso não seria nada prático, né? Mas a ideia ilustra bem o tema que vou tratar agora: armadilhas de estilo.

Ao construir o seu estilo pessoal você pode, sem querer, cair em uma armadilha. Pautando suas escolhas em um ideal e não na realidade, o risco de se sentir desconfortável ou parecer quem não somos é grande. Estilo pessoal que não considera seu estilo de vida vira prisão. Então, cuidado!

Quando escolher algo para seu armário, por exemplo, um sapato de salto, pense em como você se locomove no dia a dia. Caso você use transporte publico você já sabe que este tipo de calçado é menos prático, então precisa procurar por saltos mais confortáveis ou até abrir mão deles no dia a dia, reservando a peça para outros momentos.

Este tipo de reflexão é essencial para as suas escolhas de roupa serem corretas. Por isso, por aqui, tudo é inspirado no cliente. Todas as decisões consideram o ritmo de vida, a rotina, a profissão, os hobbys e toda e qualquer atividade que faça parte desta vida da qual estou tratando. E é a partir desta existência única que desenvolvo a identidade visual de cada um, um guia de estilo cheio de referências.

As referências são uma ótima forma de nos conduzir nesta jornada, mas, desde já, aviso: virar escravos de referências também não funciona. Esta pode ser outra armadilha. A ideia não é pegar uma foto de que se gosta, comprar todas as peças que vemos nela e vestirmos igual, nem mesmo catar as mesmas peças no guarda-roupa e andar por aí idênticos às fotos. Apurar o olhar, selecionar uma coordenação de cor do modelo, um caimento, um detalhe que combine com você e trazer para sua vida, isso sim é se inspirar.

A consultoria de estilo é muito um exercício para treinar o olhar e fazer com que a gente saiba o que e como escolher, e nem um pouco uma cartilha de regrinhas para seguir a risca. Aqui não queremos limitar, mas ampliar os horizontes.

E se quiser ir além, lembre que estou aqui.
Conta comigo!