Festa na empresa: o que usar?

Se tem uma máxima de final de ano é se perguntar: o que vou usar na festa da empresa? Sempre rola uma tensão. A gente quer estar bonita, adequada a ocasião, mas sem parecer que está com a mesma roupa de todo o dia, certo?

Em primeiro lugar, a minha sugestão é checar o convite e verificar se tem alguma instrução sobre o dress code. Se for fácil para você entender este direcionamento da empresa, basta segui-lo. Agora, se para você, como para a maioria das pessoas, estas instruções parecem mais um símbolo misterioso que pouca informação fornece, a minha segunda ideia é: informe-se sobre local e horário do evento.

Saber a hora e aonde vai acontecer a festa já nos abastece com muitas referências. Por exemplo, se a confraternização for de dia, em um sítio e com um churrasco já podemos imaginar um traje informal e confortável para andar na grama e até, quem sabe, participar de jogos, agora, caso a comemoração seja à noite com um show, pode-se pensar em um look de balada.

É importante também ficar por dentro da previsão do tempo, vale a pena verificar alguns dias antes como estarão os termômetros, lembrando que no final do ano as temperaturas são mais altas, mas pode chover ou ter um ventinho e poderá se necessário providenciar um casaco ou capa, principalmente se a festa for ao ar livre.

E que tal algumas inspirações para te ajudar ainda mais?

Festa de dia ao ar livre – roupas leves, sapatos confortáveis:

Almoço em restaurante ou buffet – tecidos brilhosos, mas leves, acessórios de destaque e penteados mais elaborados do que os do dia a dia:

Festa à noite com balada – brilho e alguma pele à mostra (desde que não curto, justo e decotado ao mesmo tempo) são bem vindos:

Happy hour no barzinho – este tema já ganhou um post exclusivo que você pode ler clicando aqui. A ideia é dar um plus no look do escritório – acessórios mais pesados e maquiagem para à noite:

E se precisar ir além, estou por aqui.

Conta comigo!

Babados e blazers: como as linhas impactam seu visual.

Toda peça de roupa tem uma forma e nela podemos ver linhas que mandam mensagens para quem nos olha. Não é nada assim, super racional, é uma leitura natural do nosso cérebro.

Mas, sabendo disso, não seria interessantes escolher estas formas mais conscientemente? Selecionar aquilo que mais combina com a gente ou que vai representar melhor a imagem que queremos transmitir?

Os babados tem linhas curvas e os blazers, normalmente, linhas retas, mas o que cada uma destas estruturas transmite?

Linhas retas – são mais formais e transmitem firmeza, poder e estabilidade:

Linhas diagonais – como aponta em diferentes direções tem a qualidade de ajudar a disfarçar pontos da silhueta, transmitem dinamismo:

Linhas verticais – direcionam o olhar de cima para baixo e alongam:

Linhas horizontais – direcionam o olhar de um lado a outro e alargam:

Linhas curvas – são mais informais e expressam movimento, jovialidade e feminilidade, ajudam a acrescentar volume:

E se precisar ir além, estou por aqui.
Conta comigo!

Truques para disfarçar a silhueta.

A grande maioria das mulheres que conheci durante a consultoria de estilo tem alguma encanação com o seu tipo físico. São poucas as que não reclamam de nada, algumas realmente odeiam alguma coisa e outras convivem bem com o que veem no espelho, mas quase todas apontam suas partes menos queridas com facilidade.

Eu, como consultora de estilo, estou acostumada a ouvir algumas reclamações e a ajudar a resolver estes conflitos que, normalmente, passam desapercebidos para os outros mas que, para elas, pode ser um drama.

No meu workshop de estilo pessoal aprender a valorizar o seu biotipo é muito importante na construção do estilo pessoal, vamos reconhecer este corpo, descobrir potencialidades e amenizar o que incomoda, não em busca de perfeição, mas de autoestima.

Pensando em algumas das queixas mais comuns, veja algumas dicas para equilibrar o seu tipo físico:

Disfarçar barriga – escolha tecidos lisos e fluídos, que caiam junto ao corpo sem grudar:

Mais volume no bumbum – cores claras na parte de baixo e detalhes como bolsos traseiros são boas ideias:

Menos volume no quadril – cores mais escuras na parte de baixo e linhas verticais contribuem para amenizar o tamanho dos quadris:

Decote turbinado – roupas ajustadas na cintura, cores chamativas na parte de cima, franzidos e babados ajudam os seios a parecerem maiores:

E se precisar ir além, estou por aqui.
Conta comigo!

Como coordenar estampas de forma simples.

Existem truques diferentes para coordenação de estampas, ensino algumas formas diferentes de fazer isso durante minha consultoria de estilo para minhas clientes, também falo sobre este tema no mini-workshop de estilo pessoal e, agora, ele será abordado no meu workshop completo, de modo mais abrangente.

Das muitas maneiras de fazer este tipo de coordenação há duas que considero mais simples e fáceis de serem aprendidas rapidamente: a coordenação entre estampas com cores em comum e  a entre padrões iguais.

Somente com estes dois conceitos podemos ter muitas ideais do que fazer com as peças estampadas que já estão nos nossos guarda-roupas e, desta forma, otimizar o uso de roupas que podem estar paradas ou com pouco uso, uma vez que as peças com padronagens, na vida de muita gente, fica restrita a coordenações com preto, branco e outras cores neutras.

Coordenação entre estampas com cores em comum – pode ser uma ou mais cores em comum, desta forma a mistura terá harmonia e, por mais cores que haja em uma outra peça, ficará sempre bonito:

Coordenação entre estampas com o mesmo padrão – aqui valem todas as cores e tamanhos de estampa, a harmonia virá pela repetição do padrão:

E se precisar ir além, estou por aqui.
Conta comigo!

Como ter um visual criativo e ainda assim parecer profissional?

Profissional e criativo são duas palavras que caminham juntas sim! Mais de uma vez pessoas já me perguntaram se é possível reunir estas duas ideias em um único visual, e a reposta é: claro! Estas palavras não são antônimos e nem suas mensagens são opostas (e ainda que fossem isso seria possível).

Acontece que a produtividade, hoje, é muito importante e, em tempos assim, ninguém quer parecer incapaz, por isso parecer profissional no trabalho é uma demanda quase geral de quem está ativo no mercado.

Porém, ser flexível, versátil e inventivo para encontrar soluções para tudo o que aparece no dia a dia também é uma necessidade mais ou menos unanime.  Daí que parecer criativo, interessante, vanguardista – até, se tornou importante para muitas pessoas.

O que transmite profissionalismo: terceiras peças, cortes e linhas retas, estrutura nas peças, cores sóbrias:

O que transmite criatividade: estampa, texturas, cores mais pigmentadas, coordenações de cores inusitadas:

A partir destes códigos visuais cada um pode selecionar, dentro de seus limites pessoais e profissionais, o quanto de cada uma destas ideias vai transmitir em seus looks.

A dosagem é individual! E é misturando um pouco de cada que você terá um imagem que te representa, que seja mesmo a sua cara, como eu faço na minha consultoria de estilo (olha o truque pra você!).

E se precisar ir além, estou por aqui.
Conta comigo!

Como usar peças de cintura alta.

Nada mais feminino que cinturinha marcada, este código visual está diretamente ligado, historicamente, ao universo das mulheres. Assim como o terno veio do mundo dos homens, a cintura marcada é um ícone nas roupas femininas desde muito tempo atrás.

As peças de cintura alta, sejam calça, saia ou shorts, naturalmente definem a cintura e trazem para a peça essa feminilidade que estamos falando. Além disso, ela também ajuda a alongar a silhueta, porque dá a impressão de pernas mais longas. Ou seja, é uma peça com muitos bons atributos para valorizar os nossos corpinhos, mas tem muita gente que não gosta.

Se o motivo for conforto, eu entendo, tem que sinta mesmo a cintura muito mais embaixo e fica aflita com o pano envolvendo parte do tronco. Agora, se for por falta de ideia de como usar, porque você acha que marca a barriga ou faz qualquer outra coisa com seu visual, a solução vem agora em forma de inspiração para você.

A primeira lição é lembrar que o cós das peças deste modelo sempre devem aparecer, caso contrário não teremos este efeito de cintura marcada e pernas alongadas, a peça ficaria com o caimento normal e perderia estas características.

Para não marcar a barriga – escolha peças com tecido mais estruturado ou mais folgados, pregas também são boas ideias para disfarçar a região:

Para não encurtar demais o tronco – looks monocromáticos, decote V e terceira peça são as soluções:

Para alongar as pernas ao máximo – salto alto, looks monocromáticos, calçados no mesmo tom da parte de baixo ou nude:

Para minimizar o quadril – tecidos mais grossos que seguram a região, cores escuras em baixo, tecidos sem textura e brilho e linhas verticais na peça ou criada por terceiras peças são algumas soluções:

É assim que eu faço com minhas clientes na consultoria de estilo, aprende a equilibrar a silhueta para não deixar de usar o que ama e tem a nossa cara.

E se precisar ir além, estou por aqui.
Conta comigo!

Coloração pessoal para eventos.

Bem no comecinho da minha carreira como consultora de estilo, há dois anos atrás, eu fui convidada por uma colega, na época também recém formada, para fazer parte da equipe dela em um trabalho para um evento.

A ideia era realizar, para um grupo de mulheres que acompanhava outros convidados deste encontro, um momento de descontração. Então, depois de uma rápida exposição sobre cores eu e mais onze consultora de estilo fizemos a análise de coloração pessoal em todas as participantes do evento.

Olivia Furtado e Sarah Shulz fazendo análise de coloração pessoal.

Cores são capazes de nos estimular, criando algum efeito em quem as vê ou em quem as veste.  Elas podem ser usadas em resposta a algo que já estamos sentindo, para reverter estes sentimentos ou para despertar uma sensação em quem nos olha.

Este recurso tem a capacidade de nos ajudar em uma ocasião específica como uma reunião de negócios ou uma entrevista de emprego – embora pareça óbvio raramente pensamos sobre isso ao nos vestir!

Ao descobrir as cores que mais nos favorecem, usando-as  na temperatura, intensidade e profundidades corretas, as cores valorizam nossos traços, disfarçam marcas e harmonizam a imagem.

O tema das cores é super amplo, e pode ser abordado de várias formas diferentes. Que tal pensar em um momento como estes para os funcionários ou convidados de um evento na sua empresa? Aprendizado que pode ser usado na vida profissional e pessoal com descontração e leveza. O que pode ser mais gostoso? Entre em contato comigo, e peça uma proposta.

E se precisar de algo diferente, estou por aqui.
Conta comigo!

Economize com a consultoria de estilo.

Consultoria de estilo gera economia.

Um dos aprendizados que minhas clientes tem durante o processo da consultoria de estilo é entender como consumir. Esse assunto não é novidade aqui, já falei sobre como este serviço ajuda a consumir melhor antes.

Este é um tema que gosto de reforçar, não somente sob o olhar da consultoria de estilo, mas englobando tudo o que o consumo consciente pode nos ensinar, por isso estou voltando nele mais uma vez.

Quero falar especialmente de como este aprendizado realmente fica claro durante a consultoria de estilo. Não é papo de quem quer vender serviço, é real, é verdadeiro! O que acontece não é passe de mágica, mas aprendizado. A vivencia de cada uma das etapas da consultoria mostra que o mais importante em um bom guarda-roupa não é quantidade de peças que se tem e sim como você as usa.

Quando você passa por uma consultoria de estilo, ou um experimenta um dos meus serviços, um tema recorrente é como consumir, quando e quanto. Isso para que você realmente possa perceber que estilo não está relacionado a ter, mas a ser.

Assim, uma vez que você investe no meu trabalho, existe uma boa chance de, no futuro, isso retornar em economia, quando comparando o tanto que você consumia e vai passou a consumir após a consultoria ou até mesmo analisando o quanto cada peça vai render de uso – as que você já tem e as novas.

Você verá que este aprendizado é natural, pois as suas escolhas ficam mais objetivas e claras, não é forçar a barra para te impor um modo de vida, apenas raciocínio lógico que começa a fazer sentido na sua vida.

Olha só como algumas pessoas entenderam isso: a Daniela me contou que aprendeu a fechar a bolsa, a Camila e a Andrea perceberam que não precisavam de tanto, a Juçara viu que poderia ter looks novos sem gastar nada e a Lígia entendeu a importância da qualidade e do foco.

Se você achar que eu posso te ajudar a ir além, me procura, marca um café, que estou doida para te conhecer!
Conta comigo!

Como usar sapato baixo em qualquer ocasião.

Nos últimos dois anos, no atendimento às minhas clientes de consultoria de estilo, tenho percebido que o conforto sempre aparece como demanda de alguma forma. Seja em roupas que não apertem, em tecidos que permitam o corpo respirar ou calçados que deem mais mobilidade.

Eu diria que entre estes, e ainda outros aspectos que existem, a preocupação com sapatos que não espremam os dedinhos, não machuquem e possibilitem deslocamentos à pé, é o principal. Claro, sempre há quem ame um salto, mas até elas procuram por conforto de vez em quando.

Eu observo que os calçados flat, em suas mais variadas formas, tomaram as ruas e muitos looks de street style das fashionistas ao redor do mundo aparecem com peças assim. Os tênis são um ótimo exemplo, estão na vanguarda dos lançamentos e vendas das marcas, tem look até para sair à noite.

Se você também procura por este conforto, mas tem dúvidas de como fazer looks com sapatos sem salto ou quando usá-los, vou tentar te ajudar com algumas ideais aqui. Vem comigo!

Vale a pena conhecer os diversos modelos de calçados baixos que existem. Não se limite apenas ao tênissapatilhas, mocassins, alpargatas, oxfords e rasteirinhas são algumas possibilidades para você variar o sapato baixo.

Caso você tenha problemas com a altura e acredite que as baixinhas devem estar sempre de salto, alguns truques podem amenizar esta sensação e permitir que você não perca o conforto dos flats: deixe tornozelos à mostra (criando um espaço entre o comprimento da peça de baixo e o calçado), use sapatos nude, de gáspea baixa ou que deixem muita pele à mostra, escolha looks monocromáticos.

É possível usar sapatos baixos inclusive em eventos formais, escolhendo os que tem mais brilho, por exemplo, ou simplesmente optando pelo mais desconexo de todos – criando assim um efeito hi-lo.

No trabalho, é a formalidade do ambiente que vai ditar as regras: para os mais tradicionais, calçados inspirados no universo masculino (evite os modelos muito abertos nestes casos) e coordenados com peças de alfaiataria. Em meios mais informais há mais flexibilidade, e você pode se arriscar com modelos divertidos e descontraídos.

Agora é só escolher o modelo que tem a sua cara e aproveitar o conforto.

E se precisar ir além, estou por aqui.
Conta comigo!

Sexy sem ser vulgar!

Quem nunca falou, pelo menos já ouviu alguém falar: “sou/quero ser sexy mas, sem ser vulgar“, não é? A palavra vulgar tem dois significados: algo que é popular ou que é banal, que não se destaca. Das duas formas, essa frase não faria tanto sentido, ou pelo menos não o sentido que as pessoas querem passar com ela.

A verdade é que, primeiro, a palavra sexy dá um medinho em um monte de gente, admitir querer ou realmente ser sexy, sem medo disso, é como anunciar para o mundo que você não vale nada – bem misógino, bem machista, bem na contramão do pensamento feminista (ou do que eu entendo por feminismo).

Em segundo lugar, o que as sexys querem é ser chics, além de sexys. Elas querem sim se destacar, elas não querem ser igual a todo mundo, querem arrasar e parecerem incríveis. Mas como fazer isso sem perder a identidade ou exagerar?

O melhor jeito é não ser óbvia e fugir do curto, justo, decotado e brilhante tudo junto ao mesmo tempo. Porque, realmente, não precisa de tanto para passar a mensagem, dois ou três itens que mostrem sua sensualidade podem suficientes. Equilíbrio é a chave.

Veja algumas inspirações que podem te ajudar a encontrar o seu jeito de fazer. Mas não esqueça: a sua personalidade conta muito, use somente aquilo em que se sentir confortável e representada para não parecer um peixe fora d’água.

Comprimento – curto ou com fendas:

Caimento – mais justos ou em tecidos esvoaçantes, que mostrem o corpo com o movimento:

Decotes – na frente, nas costas ou recortes em pontos estratégicos:

Texturas – que deem vontade de tocar, transparências:

Estampas – animal print é o clássico:

Sapatos e acessórios – nude, over the knee, colares no decote, metal:

E se precisar ir além, estou por aqui.
Conta comigo!